Implementações padrão em interfaces no C# 8

A definição de interfaces na orientação a objetos as definem como “padrões definidos através de contratos que são formados com as classes“. Assim como contratos as interfaces definem cláusulas (assinaturas de métodos) que a pessoa que o assina (as classes que as implementam) deverão seguir.

Desta forma, sempre ficou muito claro que as classes são obrigadas a implementar todos os métodos declarados em uma interface. Devido a este comportamento, quando é necessário adicionar um novo método em uma interface, as opções sempre foram: também alterar todas as classes que a implementa ou criar uma nova interface.

Para mudar este cenário, no C# 8 foi adicionado um novo recurso: implementação padrão.

Implementação padrão

Agora é possível adicionar um corpo para métodos definidos em uma interface. Com isso, caso o método não seja declarado na classe ou estrutura que implementar a interface, não é gerado nenhum erro.

Vamos a um exemplo, suponha a interface abaixo:

public interface IRepositorio<T> 
{ 
    List<T> ObterTodos();
} 

Que é implementada pela classe:

public class PessoaRepositorio: IRepositorio<Pessoa>
{
    public List<Pessoa> ObterTodos()
    {
        //....
    }
}

Suponha que seja necessário alterar a interface, para adicionar um novo método. Agora é possível fazer isso sem quebrar nenhum código:

public interface IRepositorio<T>  
{ 
    List<T> ObterTodos();
    T PrimeiroRegistro() => ObterTodos().FirstOrDefault();
} 

Mesmo que a classe PessoaRepositorio não implemente este novo método, ela ainda está satisfazendo o contrato. Um objeto dela não terá acesso a ele, mas ele pode ser “convertido” para a interface, que terá acesso ao método:

public static void Primeiro(PessoaRepositorio repositorio)
{
    IRepositorio irepositorio = repositorio; // Convertendo para a interface
    var pessoa = irepositorio.PrimeiroRegistro(); //Chamando o novo método 
}

Claro que se a classe implementar o método, a declaração padrão definida na interface será ignorada. E mesmo novas classes que implementarem a interface não precisarão definir o método.

Conclusão

Não recomendo que isso seja utilizado em novas interfaces para que elas se enquadrem em várias situações. A recomendação de sempre criar uma interface enxuta e objetiva não mudou. Mas este recurso será muito útil na hora da manutenção dos códigos.

Mesmo assim, lembre-se de sempre utilizá-lo com parcimônia. Dependendo da situação, talvez a melhor opção seja criar uma nova interface e não alterar uma existente.

Deixe seu comentário
Share

Instrutor, nerd, cinéfilo e desenvolvedor nas horas vagas. Graduado em Ciências da Computação pela Universidade Metodista de São Paulo.

JUNTE-SE A MAIS DE 150.000 PROGRAMADORES