Acessibilidade e User Experience (UX)

Lean UX: como potencializar o foco na experiência do usuário – parte 2

Nessa segunda parte, veremos os 15 princípios que regem o Lean UX.

6 meses atrás

No artigo anterior, conhecemos um pouco mais do Lean UX, este que utilizamos quando queremos ter ideias melhores, entregas contínuas, que possamos tirar aprendizados com os erros e por aí vai… Se você ainda não leu a primeira parte, recomendo a sua leitura antes de prosseguir :)

Sendo assim, nessa segunda parte, veremos os 15 princípios que regem o Lean UX.

1. Equipes multidisciplinares

Sua equipe precisa ser multidisciplinar, ela precisa conseguir unir profissionais com diversas experiências (UX, desenvolvedores, negócios, etc.) para que possamos trabalhar em paralelo, garantindo sempre todo o envolvimento da equipe.

2. Times pequenos

Os times precisam ser pequenos (máximo de 10 pessoas) e estar integrado para que a comunicação flua bem. Os times devem trabalhar na mesma melhoria, no mesmo esforço.

3. Progresso é valor, não só entregáveis

o Lean UX mensura o progresso em termos de resultado. Por isso, é preciso trabalhar o progresso em termos daquilo que você entregou de valor e não daquilo que você entregou de funcionalidades. Você irá medir o progresso em termos de coisas que trazem benefícios para o seu usuário e o seu negócio.

UX/UI - Introdução
Curso UX/UI - Introdução
Conhecer o curso

4. Equipes focadas em problemas

A equipe não pode estar focada em funcionalidades e sim nos problemas a serem resolvidos. O time deve entender o contexto do usuário e trabalhar em busca da resolução do seu problema.

5. Remover desperdícios

O que não contribui para aprimorar os resultados deve ser removido dos processos da equipe. Em outras palavras, tudo o que o usuário não for utilizar e não vai ser útil pra ele, não faça. É importante trabalhar em coisas que são realmente importantes, que tenham valor, pois isso deixará a equipe mais motivada. Além de que os recursos geralmente são limitados, então quanto mais desperdício a equipe puder eliminar, melhor.

6. Pequenas entregas

Esse é um fator muito importante para evitar que você trabalhe por meses em algo que no final não teve tanta aceitação dos usuários. Você precisa desenvolver apenas o necessário para o produto evoluir (o famoso MVP). Essas entregas menores te ajudam a diminuir o risco do projeto.

7. Entregas contínuas

A entrega contínua te ajuda a ter o feedback de mercado o mais rápido possível. Fazendo um pouco de entrega a cada Sprint, você vai ter esses feedbacks de clientes e usuários mais rapidamente. Por isso é importante sempre conversar com os consumidores para descobrir o que eles fazem e por que.

8. GOOB (acrônimo para “Getting Out Of The Building” ou Saia do prédio)

Esse princípio diz basicamente que você deve sair do seu escritório e ir para a rua testar as ideias. Você deve ir até o usuário, até onde ele executa a tarefa que você quer resolver. Esse princípio é importante porque você deve testar todas suas hipóteses com a realidade, as respostas estão no mercado.

9. Conhecimento compartilhado

É importante que toda equipe esteja na mesma página, com o mesmo entendimento de tudo que seja crucial para o projeto. O conhecimento compartilhado é o que vai te ajudar a trabalhar com pouca documentação.

10. Anti-padrão: times nivelados sem rockstars

Um time não deve colocar a responsabilidade de conhecimento exclusivamente em apenas algumas pessoas do time. Procure criar times que estão mais ou menos no mesmo nível, além disso o conhecimento deve ser compartilhado sempre. Um time nivelado cresce e avança junto.

11. Externalize o trabalho

Promova um ambiente de trabalho inspirador, onde as pessoas se sintam à vontade para dar ideias, fazendo-as fluir melhor. Pode ser usando quadros, painéis, post-its para expor uma ideia para seus colegas, etc.

12. Criar e analisar

Valorize a criação ao invés de analisar demais. Desenvolver uma primeira versão é melhor do que ficar discutindo se ela vai dar certo ou não. Busque o feedback antes de qualquer achismo.

13. Aprender antes de escalar

Você vai escalando o seu produto na medida que ele vai evoluindo. No Lean UX devemos ter foco primeiramente no aprendizado e depois no crescimento.

14. Permissão para falhar

Para um time que quer evoluir continuamente, é importante que ele tenha foco na experimentação e validação, onde o foco não é o acerto, mas sim o aprendizado. É importante ressaltar que não estamos valorizando a falha: para encontrar a melhor solução para um problema do negócio, as equipes de Lean UX precisam experimentar novas ideias, o que ocasionalmente pode ocasionar em falhas. Permissão para falhar significa que o time tem um ambiente seguro para fazer experimentos; não no quesito de trabalho mal feito ou negligência.

15. Sair do negócio de entregáveis

Documentar regras de negócio é importante para no futuro você conseguir entender decisões que foram tomadas ao longo do projeto, mas o time deve focar em funcionalidades que tragam impactos para os clientes e nos resultados que estão sendo atingidos. Não pense em criar apenas entregáveis que não agregam valor ao usuário.

Até a próxima! =)

Autor(a) do artigo

Marylene Guedes
Marylene Guedes

Responsável pelo sucesso do cliente na TreinaWeb. Graduada em Gestão de Tecnologia da Informação pela FATEC Guaratinguetá, além de estudante de UX/UI.

Todos os artigos

Artigos relacionados Ver todos