Síndrome do Impostor: você sabe o que é?

A área de tecnologia é uma das que mais crescem no mundo todo. Para ser um profissional de sucesso, sabemos que devemos estudar e nos dedicar ao máximo, pois as coisas mudam muito rápido, muitas novidades e novas tecnologias.

Isso faz com que as pessoas tenham que estudar, trabalhar e produzir cada vez mais rápido. Mas, e quando elas acham que não são merecedoras do sucesso de seu trabalho? Será que tudo foi questão de sorte e essa pessoa é uma farsa?

Pessoa com aspecto de preocupação

O que vem a ser a síndrome do impostor?

A pessoa que tem a síndrome do impostor se sente uma fraude, sente que pode ser descoberta, desmascarada a qualquer momento. Normalmente pessoas que tem essa síndrome não valorizam seu próprio trabalho, acham que não são boas o suficiente para realizá-lo, não se acham produtivas e por isso pensam que estão enganando as pessoas. Elas também costumam se comparar a outras pessoas e acabam se sentindo ainda menos relevantes, mesmo que não sejam.

Esta síndrome está mais relacionada à vida profissional, onde a pessoa nunca se sente merecedora do sucesso, mesmo que com tanto esforço. Com isso, há o perigo de se retraírem e, consequentemente, acabarem produzindo menos, o que as dificulta de mostrar o seu valor e o seu trabalho. Além disso, ainda podem vir problemas como estresse, depressão entre outros problemas de saúde.

Pessoa sobrecarregada referindo-se ao excesso de trabalho

Adentrando um pouco na questão

Para entender um pouco mais, observe as seguintes situações:

  1. Você vai para uma entrevista de emprego. Após a entrevista e depois de passar por uma prova técnica, te dizem que você é perfeito para a vaga. Apesar disso, você não se sente muito confiante. Ao começar no trabalho novo, você começa a achar que realmente não é capaz de exercer aquelas funções, e acaba achando que está no lugar errado.

  2. Você fez um projeto que foi muito bem executado no seu trabalho. Ao receber elogios sobre ele, você acha que não fez mais que sua obrigação e acaba se justificando, ao invés de aceitar e agradecer os elogios recebidos.

  3. Você está desenvolvendo um projeto com outras pessoas na empresa em que trabalha. No final, se o projeto for um sucesso, você acaba atribuindo esse sucesso aos outros membros do grupo, esquecendo que você também faz parte dele. Agora, se o projeto falhar – e como você se sente inferior aos outros – você se sente culpado pela falha e acaba atribuindo a culpa somente a você.

Pessoas andando no trabalho

Estes são apenas alguns exemplos de situações que essas pessoas passam. É muita ansiedade e muita insegurança juntas.

Agora responda a si mesmo:

  • Você já sentiu que não é produtivo o suficiente e que as outras pessoas sempre tem mais excelência no que fazem?

  • Você estuda muito mas sempre acha que não é o suficiente?

  • Você tenta ser o profissional mais completo possível e fica desapontado por não conseguir acompanhar tudo?

  • Não confia na própria capacidade?

  • Tudo o que você faz e tem êxito acha que foi mera coincidência, sorte ou que o mérito nunca é seu?

Se a maioria das respostas for sim, você pode estar com a síndrome do impostor.

Pessoa confusa

A síndrome do impostor e o perfeccionismo tendem a andar de mãos dadas. Saiba que ela não é uma doença comprovada cientificamente, mas pode sim te trazer alguns malefícios.

O segredo é: não seja crítico com você mesmo o tempo todo, é preciso permitir-se falhar uma vez ou outra. Não conseguimos fazer tudo com 100% de perfeição sempre, mas sempre devemos dar o nosso melhor.

Claro que às vezes vamos encontrar pessoas melhores que a gente em alguma coisa, mas não podemos ficar nos comparando e nem desmerecendo nosso trabalho. Todos têm o seu valor! Acredite no seu potencial, se valorize e entenda suas capacidades. E, claro, sempre busque aperfeiçar o seu conhecimento.

Concluindo

Pequenos atos no dia-a-dia podem fazer esses sentimentos que te deixam “pra baixo” irem para bem longe:

  • Se permita falhar, ninguém é perfeito!
  • Mas… sempre dê o seu melhor!
  • Aceite elogios e agradeça por eles
  • Não se menospreze e nem fique se remoendo
  • Não se compare ao colega ao lado, cada um é cada um. (Quem sabe a pessoa que você julga ter a excelência que você espera não tenha as mesmas dúvidas que você?) 😉
  • Seja bom no que você faz, estude e se esforce, mas não queira atropelar tudo e abraçar o mundo de uma vez… Tudo tem seu tempo.
  • E, por fim, faça algum hobbie, algo que não tenha nada a ver com seu trabalho. Pode ser arrebatador.

Pessoa feliz sentindo a liberdade

Coloque em práticas essas dicas e você notará uma importante melhora na sua percepção sobre o assunto. =)

Um abraço!

Git e GitHub - Controle de versão
Curso de Git e GitHub - Controle de versão
CONHEÇA O CURSO
Deixe seu comentário

Responsável pelo sucesso do cliente na TreinaWeb. Graduada em Gestão de Tecnologia da Informação pela FATEC Guaratinguetá, além de estudante de Marketing Digital e Mídias Sociais.