Habilidades

Soft Skills: por que você precisa delas?

As Soft Skills são competências que estão presentes nas organizações e estão mudando o mercado de trabalho e a gestão de pessoas. Essas competências estão ganhando cada vez mais importância no mercado e os profissionais devem acompanhar isso.

Para um profissional da área de TI, é muito mais fácil exercitar uma competência técnica do que uma competência comportamental, e as empresas estão cada vez mais olhando o comportamento de seus funcionários, onde essas habilidades são as que fazem a diferença em sua carreira.

Conheça as chamadas Soft Skills

As soft skills são competências comportamentais desejáveis pelas empresas nos profissionais, sendo muito procuradas pelos recrutadores, competências que muitas vezes já são percebidas logo no momento da entrevista.

Algumas dessas competências são a criatividade, comunicação (fala e escuta), saber trabalhar em equipe, colaboração, saber se relacionar, saber desenvolver pessoas, ser otimista, ter comportamento proativo e muitas outras. Isso não quer dizer que você precise ter e/ou desenvolver todas essas. Como essas competências podem variar de acordo com o cargo, você pode ver quais delas tem mais ênfase na sua profissão. Por exemplo, em cargos mais de gestão podemos citar a liderança, saber delegar e saber influenciar pessoas, pelo seu comportamento, suas atitudes e sendo amigo de sua equipe.

Essas competências podem vir de acordo com as experiências passadas e até de criação e personalidade de cada pessoa. Há diversos profissionais que se destacam por suas particularidades. Com certeza você conhece ou conheceu alguém que tem espírito de liderança, e isso é da personalidade da pessoa mesmo, onde ela já tem isso desenvolvido e talvez tenha que somente aprimorar.

Se você não “nasceu” com alguma competência que gostaria, você pode desenvolvê-la. Essas competências podem ser desenvolvidas em qualquer momento e qualquer idade. Precisamos nos desenvolver como pessoa em diversas soft skills pois elas nos ajudam em vários quesitos, tanto profissional quanto pessoal.

Hoje em dia o conhecimento técnico (também chamado de hard skills) por si só não são o suficiente para destacar um profissional. Imagine dois programadores excelentes, mas somente um deles consegue fazer boas apresentações de um software para o cliente. Em diversas situações de trabalho, o gestor sempre avalia quem tem um melhor desempenho no geral.

A importância do autoconhecimento

O primeiro passo para identificar as soft skills, tanto as que você já tem e quer aprimorar quanto as que ainda não foram despertadas, é o autoconhecimento. Assim você pode se conhecer melhor, conhecer suas características fortes e estimulá-las e também as fracas para que possamos trabalhar em cima delas.

Mas existem também habilidades que adquirimos somente com o tempo, como por exemplo lidar com diferentes situações e saber vestir o papel adequado para cada uma delas, e isso acaba vindo mais na vivência mesmo, mas a boa notícia é que existem pequenas atitudes que você pode começar hoje, como:

  • ser um colega bacana de se trabalhar
  • ter uma postura positiva
  • ter um comportamento protagonista, não ficar só passivo, esperando alguém solicitar alguma coisa
  • ser aberto a mudanças, como a utilização de novas tecnologias e metodologias

E existem diversas outras que você possa identificar e colocar em prática 🙂

Além de praticarmos o autoconhecimento, você também pode pedir feedback de seus colegas, pessoas que convivem com você, às vezes eles podem citar uma característica sua que você ainda não percebeu. E claro, antes de pensar em colocar em prática tudo isso, você deve estar disposto e comprometido em querer melhorar ou desenvolver alguma soft skills. Também temos um outro artigo que complementa muito esse, sobre as habilidades que as empresas esperam dos profissionais de TI. Te espero lá!

As habilidades que as empresas esperam dos profissionais de TI

Ao iniciar na área de TI pensamos sempre no que devemos aprender, quais linguagens, tecnologias, entre outras coisas. Sabemos que o conhecimento técnico é muito importante, porém acabamos esquecendo que além dessa parte técnica, existem algumas competências que as empresas esperam do profissional e que são bem importantes também.

É claro que você não precisa ser 100% em todos os quesitos que falaremos abaixo, mas você pode ir trabalhando eles e ir se desenvolvendo. =)

Vale lembrar que isso é um exercício diário, não é de um dia para o outro, ok?

Desenvolvedor C# Júnior
Formação: Desenvolvedor C# Júnior
A formação Desenvolvedor C# nível Júnior tem como objetivo fornecer uma introdução ao desenvolvimento com o C# e o .NET Framework da Microsoft. Nesta formação, são abordados tópicos como o desenvolvimento da capacidade analítica, o paradigma orientado a objetos, a preparação do ambiente de desenvolvimento para o .NET Framework e o C# com o Visual Studio e o controle de versão de código através do Git e do GitHub. Alguns aspectos essenciais do C# também são abordados, como a definição de variáveis e operadores lógicos, tipos de dados e conversões de tipos, manipulação de strings, estruturas de controle e estruturas básicas de coleções.
CONHEÇA A FORMAÇÃO

1) Relacionamento interpessoal

Foi-se o tempo que quem trabalhava com TI ficava em uma sala o dia todo apenas se relacionando com o computador. Hoje em dia é importante você saber se relacionar com os outros colaboradores da empresa.

O relacionamento interpessoal é importante para o bom convívio no trabalho, aliás você não tem a opção de escolher quem serão seus colegas de trabalho e chefe, não é mesmo?

Respeitar as diferenças, ter empatia, ouvir o outro, saber ter uma discussão saudável, são alguns exemplos que devemos seguir.

2) Trabalhar em equipe

Já indo na mesma questão do tópico acima, o trabalho em equipe é uma habilidade essencial para o mercado de trabalho.

No seu emprego você sempre irá trabalhar com um time de pessoas, por isso é extremamente importante se relacionar bem com eles (dito no tópico acima), saber motivar os colegas, gerir conflitos e principalmente dialogar.

Daí você pode até desenvolver uma outra habilidade que é a liderança.

3) Domínio de idiomas

Nessa área de tecnologia saber inglês é fundamental. A maioria das empresas hoje exigem algum conhecimento em inglês. Para algumas vagas eles exigem no mínimo o inglês avançado.

Isso se deve porque existem muitos materiais / livros que são escritos em inglês, as próprias linguagens de programação e até mesmo para se comunicar na empresa. Se a empresa que você trabalha tiver clientes de outros países, pode ser que uma hora você precise se comunicar com eles.

Se você também busca uma oportunidade de trabalho ou estudo no exterior, o inglês também será essencial.

Outros idiomas como espanhol e francês também são bem vindos. =)

4) Abertura para inovações

Basicamente sair da zona de conforto e pensar fora da caixa. A tecnologia evolui muito rapidamente e surgem coisas novas a todo momento. As empresas precisam ficar de olho nessas evoluções e nós também.

Se aventurar como por exemplo na utilização de Internet das Coisas ou até mesmo de outras ferramentas como o Big Data, podem reinventar vários processos, inovando-os e melhorando-os.

Desenvolvedor Java Júnior
Formação: Desenvolvedor Java Júnior
A formação Desenvolvedor Java nível Júnior da TreinaWeb tem como objetivo fornecer uma introdução ao desenvolvimento através do Java e todo o ecossistema para desenvolvimento da Oracle. Nesta formação, são abordados tópicos como o desenvolvimento da capacidade analítica, o paradigma orientado a objetos, a preparação do ambiente de desenvolvimento para o Java através do Eclipse e o controle de versão de código através do Git e do GitHub. Além disso, também são abordados aspectos mais essenciais da linguagem e estruturas importantíssimas dentro do ecossistema do Java, como a Stream API, que auxilia a lidar com coleções de dados; a implementação das estruturas de dados mais tradicionais como listas, filas e pilhas; e a API de coleções.
CONHEÇA A FORMAÇÃO

5) Visão de negócios

Além do conhecimento técnico, as empresas querem que o profissional tenha visão de negócio para que a tecnologia também seja aplicada de maneira estratégica.

Ele deve poder entender a demanda operacional e estratégica da empresa, ter vivência e conhecer os processos, para que possa traduzir isso em ações baseadas na TI, e que claro, gerem retorno.

6) Proatividade e autodidatismo

Ver uma pessoa proativa não é tão comum assim como pensamos, muito pelo contrário, encontramos muitas pessoas acomodadas. Ter o diferencial de tomar iniciativas, expor opiniões e sugestões, são vistos com bons olhos pelas empresas.

Também temos o fator do autodidatismo. Para ser um autodidata, você precisa apenas de curiosidade e força de vontade. Surgiu uma tecnologia nova? Estude sem ninguém precisar pedir e da maneira que puder, seja procurando materiais na internet ou assistindo a vídeo aulas.

Sempre temos alguns pontos que podemos melhorar, basta começar a aplicá-los no nosso dia a dia. E você, acrescentaria algo a mais? Conte pra nós. =D