Magento

Quais as vantagens de se utilizar um CMS?

Já se foi o tempo em que os CMS’s eram somente utilizados com a finalidade de criar blogs. Hoje em dia, eles estão muito mais avançados e com diversas facilidades.

O CMS é um sistema de gerenciamento de conteúdo que possui um conjunto de ferramentas, onde você pode criar, editar, gerenciar e publicar conteúdo. Sendo assim, se você não possui tanta experiência na criação de sites utilizando linguagens de programação, mas precisa criar um site rápido, com boa aparência e boas funcionalidades, você pode optar por utilizar um CMS.

Existem várias opções de CMS no mercado que atende diversas necessidades como a criação de sites, blogs ou até mesmo uma loja virtual. Uma das vantagens dos CMS’s é que eles são ferramentas que tem constantes atualizações, agregando novos recursos e focando sempre em oferecer segurança para o seu site.

Além disso, eles disponibilizam diversos templates prontos, mas que você também pode personalizar da sua forma, modificando textos, colocando imagens, vídeos, etc. Essas ferramentas também contam com os plugins, onde você pode instalar no seu site para agregar recursos e deixá-lo mais completo ainda. Você também poderá ter controle das estatísticas de visitação, frequência, vendas, etc. Assim você consegue fazer uma avaliação de seu site, identificar problemas, entre outros.

Se você for utilizar um CMS para criar um blog, você pode trabalhar em sincronia com outras pessoas. Cada autor terá um perfil e poderá postar na plataforma, de acordo com o nível de acesso, que você pode definir para cada um deles.

A utilização de um CMS é uma opção mais barata quando se tem um orçamento apertado. A maioria dos CMS são gratuitos. Se você optar por um gratuito, você gastará apenas com o domínio (endereço do seu site na internet) e a hospedagem do seu site.

Partindo para a escolha do CMS, você deverá previamente analisar suas necessidades e verificar as funcionalidades de cada CMS. A escolha também vai variar de acordo com as capacidades técnicas que se dispõe e qual atenderá melhor suas necessidades.

Segundo uma pesquisa do site W3Techs, podemos ver os mais utilizados e sua porcentagem de uso.

Vamos então adentrar rapidamente nos 4 CMS mais utilizados.

WordPress

O WordPress é o CMS mais utilizado na web e é o que tem maior repertório: só de plugins tem quase 53 mil extensões.

Era primeiramente conhecido pelo seu uso em blogs, mas hoje já é também utilizado em sites. Possui uma plataforma fácil e a comunidade em si é muito ativa.

Joomla

O Joomla também é um CMS bem completo e também com muitos seguidores. Tem mais de 6000 extensões, fora os plugins e temas. Com ele você pode construir sites, portais, sites de comércio, etc.

Drupal

O Drupal é um CMS mais complexo, então ele exige um pouco mais de conhecimentos em programação para realizar alterações e personalizações.

Tem uma comunidade que vem crescendo e possui um ótimo suporte para dúvidas. Pode ser utilizado para diversas finalidades, de sites pequenos até aos mais complexos.

Magento

O Magento é o mais conhecido se tratando de e-commerce, sendo insuperável para se desenvolver lojas virtuais. Para utilizá-lo é necessário que você disponha um pouco mais de tempo para aprender a ferramenta.

Lembre-se que independente da plataforma que você escolha, aqui no TreinaWeb temos cursos específicos de cada um deles para te ajudar. É só começar a estudar e desenvolver o que você precisa.

Mãos à obra! =D

E-commerce: Magento vs WooCommerce

Antes de partirmos para a análise de cada plataforma, é preciso entender um pouco do retrospecto de cada uma. Começaremos pelo Magento.

O Magento é uma plataforma específica para criação de lojas virtuais. Ele foi criado em 2007 com o objetivo de ser uma plataforma de e-commerce mais completa e estável que as opções existentes na época.

Já o WooCommerce, na verdade, não é apenas uma plataforma de comércio eletrônico, ele é um plugin para WordPress que possibilita criar lojas virtuais com esse CMS.

Público de cada plataforma

Tanto o WooCommerce quanto o Magento são ótimas opções para a construção de lojas virtuais porém, apesar de não ser uma coisa totalmente explícita, cada um possui um público alvo, pelo menos na minha opinião, e isso tem muito a ver com a história deles.

O Magento foi criado com objetivo de ser uma plataforma completa e robusta para ser usada, basicamente, por qualquer tamanho de loja virtual. Com o tempo ele ganhou uma API poderosa que permite aos programadores desenvolverem módulos e assim adaptar a ferramenta para muitos cenários. Além disso, o Magento possui uma versão enterprise focada em empresas de alto porte e que precisam de mais “poder de fogo”.

Muitos blogs e sites WordPress começam com ideias pessoais ou simplesmente por hobby. Com o tempo, a audiência aumenta e seus autores passam a notar a possibilidade de ganhar dinheiro de alguma forma que não seja apenas com propagandas. Nesse momento, ele já possui o WordPress funcionando, sabe utilizá-lo, e por que não instalar um plugin de loja virtual e passar a ganhar dinheiro com isso? Geralmente é esse o cenário da maioria das lojas que utilizam o WooCommerce. Recentemente com a popularização do Woocommerce, muita gente vem considerando ele como opção de plataforma de comercio eletrônico, mesmo que nem utilize outros recursos do WordPress em sua loja, isso graças a sua qualidade.

Comparando

Tanto quem já tem vivência na área de e-commerce quanto quem está começando pode se perguntar: Mas se essas ferramentas, apesar de usadas para criar lojas virtuais não são iguais, por que falar de ambas em um mesmo post?

A resposta para isso são os números do mercado. Se olharmos o site de estatísticas builtwith veremos que ambas as opções possuem a mesma porcentagem de uso global:

Esses números mostram que, apesar do Magento possuir muito mais tempo de mercado que o WooCommerce, ele está crescendo muito mais rápido. Um dos principais motivos para o aumento no número de lojas com WooCommerce é o fato do público dele ser bem maior que o público do Magento.

Se olharmos no Brasil, o WooCoomerce possui uma grande vantagem sobre o Magento:

Um dos principais motivos para isso é uso do WordPress no Brasil, a plataforma é a mais utilizada, com quase 60% dos sites que utilizam algum CMS.

Diferenças

Analisando a história e os números é possível ter uma ideia de mercado porém, na prática, o que muda entre essas opções?

O Magento por ser uma plataforma mais robusta, possui muitas opções e recursos que o WooCommerce não possui. Para um usuário que não conhece nenhuma das duas, a curva de aprendizado é muito menor no WooCommerce. Apesar da versão 2 do Magento ter melhoras significativas na usabilidade do painel administrativo.

O Magento também possui recursos sofisticados que permitem trabalhar com múltiplas lojas dentro de uma mesma instalação. Ter uma equipe com múltiplos membros também não é problema, uma vez que ele possui recursos específicos para gerenciamento de usuários e permissões, além de outros recursos avançados.

Outro ponto a ser analisado são as ferramentas de cada plataforma. No caso do Magento, a maioria dos módulos para realizar tarefas que ele não faz nativamente e temas para modificar as aparências da loja possuem um valor considerável mas, por outro lado, tendem a ser bem completos e estáveis. Já para o WordPress e WooCommerce os valores são bem mais acessíveis e às vezes é até gratuito.

A hospedagem também é um ponto a ser analisado. É possível instalar o WordPress em qualquer hospedagem compartilhada, não que isso não seja possível com Magento, mas com ele é mais difícil. Se olhar os requisitos de instalação do Magento 2, por exemplo, verá uma lista bem extensa, o que torna a sua instalação bem mais técnica de se realizar.

Qual usar?

No meu ponto de vista nenhuma plataforma é melhor que a outra, o que muda é o público de cada uma. O WooCommerce vem surpreendendo a cada dia com a quantidade de melhorias e facilidades que tem adicionado ao sistema. Já o Magento com o lançamento da versão 2, melhorou aspectos de usabilidade do sistema e a cada versão vem trazendo novas melhorias.

Se você está começando com uma loja e possui baixo orçamento de dinheiro e tempo, aconselho “de olhos fechados” o WooCommerce. Ele vai atender tudo o que você precisa, sem onerar o seu projeto, afinal, a tecnologia é para facilitar a vida, não atrapalhá-la.

Agora, se você tem um capital de tempo e dinheiro para investir na abertura da sua loja ou se já possui uma loja funcionando e precisa de algo mais completo ou se precisa aplicar uma solução robusta de e-commerce na empresa onde trabalha, com certeza com o Magento e com a ajuda dos profissionais corretos você terá uma ótima e completa solução.

Conclusão

Estamos muito bem cercados de plataformas de comércio eletrônico open source. Desde que analisados os fatores corretos na escolha, certamente é possível desenvolver uma loja de sucesso.

Mudanças do Magento 1.9 para o Magento 2

Nesse post veremos as principais mudanças da versão 1.9 para a versão 2.x em uma visão geral. Para quem ainda não conhece, o Magento é uma das plataformas de e-commerce open-source mais usadas do mundo.

A versão 2

Desde 2011 o pessoal vem comentando sobre o desenvolvimento de uma nova versão do Magento. Finalmente, em novembro de 2015, ela foi lançada na página oficial, como sendo a versão 2.0.0.

Apesar dessa versão ter sido lançada há mais de 1 ano, ela ainda é novidade para a maioria das pessoas. Isso porque tradicionalmente muitas empresas esperam a plataforma ficar um pouco mais madura, outro fator que elas consideram é o suporte a recursos como traduções, extensões e temas compatíveis. Além disso, como a versão 1.x ainda terá suporte oficial com atualizações de segurança e correção por mais 3 anos (após o lançamento da versão 2), ela ainda continuará por um bom tempo em muitas lojas. Uma prova disso são as estatísticas de uso das versões do Magento em sites como builtwith, veja que a versão 1.7 e 1.8 são usadas até hoje:

estatísticas de uso Magento site buildwith

Mudanças no desenvolvimento

O Magento não mudou apenas para ficar mais bonitinho ou para não ficar com uma fama de estagnado pela comunidade, ele foi realmente reformulado. Uma das principais reclamações no Magento 1.x é que ele não é modular, é necessário instalá-lo por completo, mesmo não desejando usar uma determinada parte. No Magento 2 esse problema foi resolvido, agora é possível na hora da instalação selecionar somente os módulos que você quer. Ainda nesse mesmo contexto, outra novidade foi a possibilidade da instalação da plataforma e extensões através do gerenciador de dependências do PHP, o Composer. E isso deu ao projeto um grande salto de qualidade e flexibilidade.

A estrutura de pastas dos temas e extensões também foi alterada para facilitar e tornar mais organizados os recursos desenvolvidos por terceiros. Outros recursos importantes também foram melhorados, como o sistema de cache, escalabilidade, suíte de testes e outros. Com a utilização de ferramentas modernas no desenvolvimento, agora o Magento tem suporte às versões mais atuais das tecnologias necessárias para rodá-lo, veja os requisitos básicos da versão 2.1:

  • Apache 2.4 ou Nginx 1.8.x (ou superior)
  • PHP 7
  • MySQL 5.7

Pode ver todos os requisitos do Magento clique aqui.

Mudanças no painel

Vamos agora às mudanças que interessam para quem trabalha no dia-a-dia administrando lojas que utilizam o Magento. O painel administrativo na versão 1 é um tanto quanto assustador, ele tem cara daqueles sistemas bem complicados, se é que me entende. Ele também possui alguns detalhes de usabilidade referentes às limitações da época que ele foi de desenvolvido.

No Magento 2 eles tentaram resolver a maioria desses problemas. Apesar de eu não ser nenhum especialista em usabilidade, na minha opinião como usuário, o sistema melhorou bastante. Inclusive, eles estão a cada dia melhorando mais e mais essa parte, tanto que da versão 2.0 para a versão 2.1 alguns recursos foram alterados para melhorar ainda mais a usabilidade do sistema.

Veja abaixo algumas telas de exemplo:

Página inicial do painel (Dashboard)

Página inicial painel (Dashboard)

Menu Principal

Menu Principal

Página do catalogo de produtos

Página do catalogo de produtos

Painel de adição de produtos associados a produto configurável

Painel de adição de produtos associados a produto configurável

O legal de todas essas mudanças é que apesar do sistema estar todo redesenhado, quem está acostumado com a versão 1.x não terá que aprender tudo novamente, pois o fluxo de trabalho continua o mesmo, sendo necessário somente algum tempo de adaptação.

Extensões e temas

Um dos motivos da popularidade do Magento é a facilidade na instalação de temas e extensões através do Magento Connect, uma plataforma que liga o desenvolvedor de temas e extensões aos usuários da plataforma.

Até alguns dias atrás o Magento 2 ainda não possuía um Magento Connect, isso porque os recursos para a nova versão não podiam ser instalados usando a plataforma antiga. Então o Magento lançou uma nova plataforma, chamada Magento Marketplace, essa sim com extensões e temas compatíveis com a nova versão.

Conclusão

Apesar do Magento 2 trazer todas as melhorias descritas, ele ainda tem muito a evoluir, principalmente na quantidade de recursos como traduções, temas e extensões. Uma prova disso é o Magento Marketplace que só foi lançado recentemente.

Deixe o seu comentário caso já esteja usando o Magento 2 em ambiente de teste ou produção. Fique à vontade para dizer qual parte mais gostou ou não.

Caso queira aprender mais sobre a plataforma, temos no TreinaWeb o seguinte curso:

Até a próxima!

JUNTE-SE A MAIS DE 150.000 PROGRAMADORES