TI

O que os recrutadores esperam dos candidatos em uma entrevista de TI

Sabemos que no mercado de TI sempre tem vagas disponíveis. Também sabemos do déficit de profissionais qualificados, o que acaba fazendo com que sobre mais vagas ainda, afinal, muitas vezes não há profissionais que realmente atendam às necessidades da vaga que aquela empresa exige.

Mas então, o que fazer para conquistar uma dessas vagas?

Já sabemos que estudar é uma delas, mas também existem algumas competências e conhecimentos que também são muito importantes e que serão abordadas neste artigo.

Se você está em busca de uma vaga e precisa se destacar na hora da entrevista, elencamos algumas dicas que podem te ajudar em meio ao processo seletivo.

Algoritmos

Sabemos que programar não é apenas copiar código. Precisamos entender o que está acontecendo e ter a lógica do problema em si. Você deve saber resolver esse problema na linguagem que o computador entende e é exatamente esse o propósito do algoritmo.

Um algoritmo nada mais é que um conjunto de instruções detalhadas e ordenadas, com o propósito de realizar alguma operação ou tarefa.

O recrutador quer alguém que entenda as necessidades e do que ele precisa para poder transformar isso em um software ou qualquer outra coisa, e não uma pessoa que não saiba nem analisar as possibilidades de qual tecnologia utilizar, qual linguagem é melhor naquele caso, dentre outras coisas.

Python - Algoritmos - Parte 1
Curso de Python - Algoritmos - Parte 1
CONHEÇA O CURSO

Estrutura de dados

É o nome dado a organização de dados e algoritmos de forma racional, para que eles possam ser utilizados de forma eficiente. Saber as diferentes características das estruturas de dados é muito importante.

Utilizando as estruturas de dados adequadas podemos administrar uma grande quantidade de dados de forma eficiente. Você poderá escolher a estrutura de dados mais adequada quando você for manipular conjunto de informações, além de desenvolver algoritmos realmente eficientes. Viu como uma coisa ajuda a outra? 😊

Java - Estrutura de dados - Parte 1
Curso de Java - Estrutura de dados - Parte 1
CONHEÇA O CURSO

Conhecimento profundo do core da linguagem

As linguagens de programação geralmente oferecem várias diferentes maneiras para se fazer a mesma coisa. Por exemplo, se eu quiser fazer a ordenação de um vetor ou de uma lista no Java, eu posso utilizar o método estático da classe Collections, o método Sort, ou posso implementar um Comparable ou Comparator. A utilização de cada uma dessas maneiras possui prós e contras que vão variar em cada situação.

Você só vai conseguir saber a aplicabilidade real de cada recurso que sua linguagem de programação oferece, se você estudar o core da linguagem a fundo. Por isso, é importante para que um desenvolvedor conheça o core de maneira aprofundada pelo menos de uma linguagem na qual ele se propõe a ser especialista. Assim, você conseguirá detectar as nuâncias de cada funcionalidade oferecidas pelos SDKs das linguagens e consegue escrever um código mais adaptável e correto para cada situação.

GIT

O Git é um controle de versão de arquivos, onde podemos colocar um projeto e várias pessoas podem contribuir simultaneamente no mesmo, editando e criando novos arquivos, sendo muito utilizado no desenvolvimento de software. Apesar de todos esses benefícios, devemos saber usá-lo corretamente, por isso é importante saber o que fazer e os comandos corretos, para que você não tenha o risco de suas alterações impactarem negativamente outros arquivos ou que suas atualizações sejam sobrescritas.

Saber GIT é de uma importância muito grande para os desenvolvedores. Neste tópico temos duas lições: saber os comandos do GIT em si e ter seu GIT ativo.

Além de saber usar ele de forma correta, o GIT acaba sendo como uma rede social, mas de códigos. Além de você poder disponibilizar os seus projetos você também pode colaborar no código de outra pessoa. Você também pode contribuir com a comunidade criando um repositório com algum código que você queira compartilhar.

Além disso acaba sendo um portfólio aberto. Lá as pessoas vão poder ver as linguagens que você costuma trabalhar, como é seu código, sua forma de programar, dentre outras coisas. Você tem pelo menos um projeto que possa compartilhar, não é? 😊

Git e GitHub - Controle de versão
Curso de Git e GitHub - Controle de versão
CONHEÇA O CURSO

Inglês

Apesar de clichê, isso é uma obrigatoriedade hoje em dia e querendo ou não, o inglês domina os negócios. Além de você encontrar muito material de estudo que estão apenas em inglês, ele provavelmente é um dos requisitos daquela vaga que você tanto almeja. Independente da forma e do tempo que você vá se dedicar ao estudo do idioma, tente praticar um pouco todos os dias, existem diversas opções online que se adequam a sua rotina.

Muitos desenvolvedores tem o hábito de escrever seus códigos apenas em inglês. Além de manter um padrão fica muito mais fácil caso a empresa seja multinacional e outra pessoa tenha que dar sequência a esse projeto.

Infelizmente isso não o faz mais um profissional diferenciado. É algo que você tem que saber, tendo em média um inglês intermediário. Mesmo que você tenha o básico e apareça uma entrevista, não se preocupe. Se você estiver estudando o idioma isso contará pontos, pois o recrutador saberá que você pode não saber tanto agora, mas que está se esforçando para melhorar.

Boa comunicação

A necessidade de uma boa comunicação já começa aí mesmo na entrevista de emprego, onde muitas vezes, a primeira impressão é a que fica. Você tem que conseguir se expressar, mostrar suas competências, atitudes, além de passar uma credibilidade.

Foi-se o tempo que o profissional de TI ficava apenas em uma sala programando. Hoje as empresas querem melhorar a comunicação de seus funcionários. Você pode ter que explicar algo a um cliente em uma reunião, ter que liderar uma equipe, realizar apresentações e por aí vai…

Proatividade

O fato de você ser ou querer se tornar uma pessoa proativa, pode te trazer muitos benefícios, além de ser uma característica muito apreciada. Se você é uma pessoa que sempre tenta encontrar diversas maneiras para resolver um problema, se faz as coisas sem ninguém ter que pedir, pode se colocar no time dos proativos.

Uma pessoa proativa basicamente se antecipa às situações e toma a iniciativa. Muitos recrutadores conseguem enxergar isso em uma entrevista. Apesar de ser associado mais ao ambiente corporativo, ser proativo nos ajuda até mesmo em outras áreas de nossa vida.

Sabe aquele ditado “Não deixe para fazer amanhã o que você pode fazer hoje”? Pois bem, então vamos começar hoje mesmo colocando em prática as outras dicas =D

Até a próxima! 😀

Vale a pena trocar de profissão e entrar para a carreira de TI?

Hoje em dia não é nada incomum as pessoas quererem mudar de profissão. Lá no Ensino Médio muitas vezes somos “obrigados” a escolher uma carreira para ingressar em uma faculdade. Depois, apesar de já formados, podemos escolher se queremos continuar com aquela profissão ou… mudar!

Isso pode acontecer se você está em uma fase em que está pensando se está ou não no caminho certo, se está com vontade de experimentar coisas novas. Essa mudança também pode vir pela insatisfação profissional, busca por salários melhores, oportunidades de trabalho…

Por que a área de TI?

Não é novidade que a área de TI é uma das que mais cresce. Além disso, você tem uma infinidade de carreiras para se decidir, podendo ir para uma área mais técnica ou mais de gestão. Além disso, a possibilidade de progredir na carreira é relativamente rápida.

Muitos profissionais têm decidido se especializar no ramo da tecnologia para entrar no mercado, devido às diversas possibilidades de carreiras e vagas que existem no mercado. Muitas vezes sobram vagas neste ramo, pois muitas empresas não encontram pessoas devidamente capacitadas para ocupá-las, sendo assim, muitos veem isso como uma bela oportunidade de progredir, mesmo não sendo em sua atual área de formação.

Então é possível trocar de área e ter sucesso?

Sim, porém é importante destacar que isso demanda esforço e dedicação, pois você irá ter que aprender coisas novas e adquirir novas habilidades. Mas antes de tudo você deve saber que essa é uma decisão que deve ser bem pensada, que não pode ser tomada por impulso. A área de TI tem que realmente te interessar e você sempre deve estar disposto a aprender mais, pois é uma área onde a evolução é constante e rápida. Por isso, vale sim a pena pelas oportunidades, mas devemos ter alguns cuidados que veremos a seguir.

Como fazer essa transição?

Fazer uma transição de carreira não é fácil, mas se seus motivos te levam a isso, preparamos algumas dicas para que você tenha sucesso na nova empreitada.

Crie um planejamento

Essa é a parte mais importante: que você trace um planejamento. E se possível, que o faça enquanto você ainda estiver na sua atual profissão. É melhor ir de forma gradual, sem abandonar o atual trabalho e ir se dedicando no tempo livre. Como é uma fase nova, dificilmente você começará de cima. Você precisará de experiência para progredir. Então aceite cada uma das fases numa boa, pois sabemos que faz parte.

Além disso, essa transição de carreira também deve trazer alguns custos que são necessários, como uma segunda graduação, especialização, cursos diversos, para que te ajude a se qualificar para a nova carreira.

Desenvolvedor Java Júnior
Formação: Desenvolvedor Java Júnior
A formação Desenvolvedor Java nível Júnior da TreinaWeb tem como objetivo fornecer uma introdução ao desenvolvimento através do Java e todo o ecossistema para desenvolvimento da Oracle. Nesta formação, são abordados tópicos como o desenvolvimento da capacidade analítica, o paradigma orientado a objetos, a preparação do ambiente de desenvolvimento para o Java através do Eclipse e o controle de versão de código através do Git e do GitHub. Além disso, também são abordados aspectos mais essenciais da linguagem e estruturas importantíssimas dentro do ecossistema do Java, como a Stream API, que auxilia a lidar com coleções de dados; a implementação das estruturas de dados mais tradicionais como listas, filas e pilhas; e a API de coleções.
CONHEÇA A FORMAÇÃO

Experimente primeiro

Antes de dar o veredito final da mudança, experimente! Só assim você vai saber se é o que você realmente quer. No seu tempo livre você pode estudar e até fazer alguns projetos freelancer para já ir se habituando a nova área. É interessante trabalhar paralelamente à sua carreira atual.

Entenda o mercado

Entender o mercado é importante para que você possa se situar e ver onde melhor se encaixa. Se você tem a vontade de desenvolver aplicativos para celular, busque o máximo de informações, veja o que está sendo mais usado nesse momento, como está a demanda dessa área e em como se destacar e se manter competitivo no mercado.

Caso você não saiba por onde começar, comece pelo básico e depois vá aprendendo um pouco de tudo, assim, se ainda estiver em dúvida do que seguir, isso te ajudará a saber em qual área tem mais afinidade para que assim possa se especializar nela.

Aqui na TreinaWeb temos cursos de diversos segmentos da tecnologia e, como você terá acesso a todos os cursos de nossa plataforma, pode experimentar um pouco de tudo.

Concluindo

Apesar de muitas pessoas se sentirem frustradas e até mesmo culpadas quando pensam em mudar de carreira, não há nada de errado com isso e nunca é tarde. Se você acha que não teve competência o suficiente na profissão ou que perdeu tempo, saiba que nada é perdido e você pode aproveitar em outras coisas, pois conhecimento adquirido nunca é perdido (e nunca é demais! 😀 ). Então, não há nada de errado em querer mudar, só tem que ser algo bem pensado, ok? É super comum mudarmos alguns interesses no meio da vida e o que importa é a nossa felicidade, seja na área que for. 🙂

Até a próxima!

Como melhorar seu networking na área de TI

Na área de TI sabemos que tudo muda muito rápido e que o estudo constante se torna essencial. Mas será que apenas um bom currículo nos torna capazes de abraçar as oportunidades que tanto almejamos? Pode ser que sim, mas algo que também é importante e pode nos ajudar é o networking, que é o que vamos abordar neste artigo.

Desenvolvedor Android Júnior
Formação: Desenvolvedor Android Júnior
A formação Desenvolvedor Android nível Júnior da TreinaWeb tem como objetivo ilustrar os tópicos essenciais para aqueles que desejam se especializar na plataforma mobile da Google. Entre estes tópicos, estão a arquitetura básica do Android, as operações necessárias para configuração do ambiente de desenvolvimento, os widgets e as activities, as definições de layout, o armazenamento de dados offline, o consumo de APIs RESTful e a aplicação dos conceitos de Material Design.
CONHEÇA A FORMAÇÃO

Por que o networking é importante?

O networking nada mais é do que a prática de estabelecer uma rede de relacionamento com outros profissionais da sua área. Muitas vezes, um recrutador vai atrás de indicações, e numa dessas, podem te indicar para uma vaga. Se você nunca passou por isso, com certeza um dia vai passar: ou vão pedir indicação para você ou vão te indicar para alguém. No meio de tanta competitividade, isso acaba se tornando um diferencial.

É importante ressaltar que no networking temos uma relação de confiança. Quando você conhece alguém que tem características para uma determinada vaga, você a indica, e também pode ser indicada por ela. Por isso, a construção dessa rede de contatos é bem importante.

Você deve ver o networking como algo natural, pois são pessoas que tem interesses em comum. Não precisa ser nada forçado. Lembre-se de fazer tudo isso de boa, ninguém gosta de gente puxa saco, não é? Além disso, pode ser que não tenha um efeito imediato, você irá construindo isso aos poucos e lá na frente você pode vir a colher os frutos.

E não é por isso que você vai querer se conectar com todo mundo. Não precisa ter mil amigos para ter um bom networking, neste caso o que realmente importa é a qualidade deles.

Agora vamos ver algumas dicas para colocar em prática para melhorar seu networking. Se você já faz algumas delas, já está no caminho certo! 😀

Participe de eventos

Participe de feiras, cursos, congressos, eventos, tudo que possa agregar a sua carreira. Nesses eventos, além de todo o conteúdo que você venha a absorver, você pode conhecer muita gente da sua área. Além disso, é uma forma de mostrar interesse no seu aperfeiçoamento e até poder interagir com profissionais mais experientes. Para encontrar essas pessoas você precisa ir onde elas estão.

Utilize as redes sociais

Aqui vamos focar no LinkedIn, já que é a maior rede de negócios que temos atualmente. Ter um perfil atualizado, colocar sempre suas conquistas profissionais, certificações adquiridas, projetos realizados, é bem importante pois ajudam os recrutadores a conhecer melhor o seu perfil. Muitos recrutadores utilizam o LinkedIn para selecionar profissionais para participarem de um processo seletivo.

A tecnologia está aí para facilitar e permite nos comunicar com uma grande quantidade de pessoas sem sair de casa.

Seja ousado e saiba conversar

É importante você não ficar restrito apenas as pessoas que você conhece, é preciso conhecer pessoas novas. E também não adianta ficar quieto em um canto e esperar que um milagre aconteça, não é?

Você pode começar uma conversa apenas fazendo um elogio a uma palestra que você viu. Além de ser visto pelo palestrante, vocês podem engajar uma conversa. Entre outras coisas você pode se apresentar para alguém ou mesmo ser receptivo com todos.

Estimule a troca

Procure entender seus pontos fortes e o que você pode oferecer às outras pessoas. O contato fortalece quando um está disposto a ajudar o outro. Você tem que estar preparado para manter o engajamento com esse contato, e claro, sem parecer interesseiro. O interesse deve ser mútuo e um deve agregar para o outro, e isso também vale para a troca de conhecimentos.

Você também pode estabelecer parcerias em alguns projetos. Além de juntarem conhecimentos e competências, podem render muitos trabalhos.

Mantenha contatos que já passaram por sua vida

Adquirir novos contatos pode ser até fácil, difícil é mantê-los. Você pode resgatar contatos antigos como amigos da escola, da faculdade. Temos as redes sociais para isso.

Ainda complementando o tópico acima: faça parte da vida dessas pessoas. Mas não faça isso apenas por interesse, e sim pela troca de conhecimentos. O que um networking pode trazer é fruto dessa relação. Nunca as procure somente quando precisar de ajuda, seja num favor ou problema. Vamos praticar o bom senso também.

Desenvolvedor Front-end Júnior
Formação: Desenvolvedor Front-end Júnior
HTML, CSS e JavaScript são a base de toda a web. Tudo o que você está vendo aqui agora depende deste tripé. Nesta formação vamos iniciar aprendendo lógica. Teremos uma introdução ao HTML e CSS e conheceremos a linguagem JavaScript.
CONHEÇA A FORMAÇÃO

Seja você mesmo

Isso mesmo: seja autêntico. Não adianta querer vestir um personagem para agregar ou chamar atenção para impressionar alguém. Não dá pra agradar todo mundo. Vai ter aquele contato que você vai tentar se aproximar e não vai dar certo, mas também vai ter aqueles que deram certo. Você tem que ser natural e sempre querer evoluir, mas sempre com sua essência.

Concluindo…

Se você tiver dificuldades, comece devagar, não precisa ter pressa. Você pode até começar pelos amigos de seus amigos até se sentir mais confortável. E vale ressaltar mais uma vez: o networking pode levar tempo. No primeiro contato a pessoa pode até gostar de você, mas é depois que ela vai te conhecer melhor, ver seu perfil, saber de suas intenções, como você age…

Por isso é importante aliar tudo isso aos estudos e se manter sempre atualizado das novas tecnologias. Suas atitudes e resultados ampliam sua rede naturalmente pois o mercado está sempre se comunicando.

Se você ainda não coloca algumas dessas dicas em prática, agora está pronto para começar.

Até a próxima! 😊

Devo fazer uma faculdade ou um curso de especialização?

Se você chegou neste artigo é porque provavelmente quer iniciar na área de TI ou até mesmo aprimorá-la. Quando se está iniciando é comum pensar: “Para começar na área de TI, eu realmente preciso fazer uma faculdade?”. Pois bem, vamos falar um pouco sobre neste artigo.

Primeiramente vamos fazer um breve resumo de cada um deles.

A faculdade visa fornecer uma formação generalista em TI, que engloba outras áreas para que você tenha conhecimento em diferentes contextos como finanças, marketing, gestão de pessoas, entre outros. E isso é um ponto interessante, pois é importante aprender pelo menos o básico dessas outras áreas.

Já os cursos de especialização são geralmente cursos menores e mais alinhados com o mercado, onde você pode desenvolver novas competências com maior velocidade. É uma formação bem mais prática em pouco tempo.

Formação:
CONHEÇA A FORMAÇÃO

Profundidade técnica e alinhamento com o mercado

Se formos analisar o termo de profundidade técnica, os cursos de especialização ganham nesse quesito, pois vão direto ao ponto. Faculdades não abordam o conteúdo muito profundamente pois elas precisam dar uma base em diversos segmentos, cabe a você estudar por fora também um determinado assunto.

Nas faculdades às vezes precisamos aprender, por exemplo, alguma linguagem que talvez já esteja começando a ficar defasada, mas que está na grade do seu curso para se iniciar na programação. Ou até mesmo aprender algumas tecnologias que você não venha a ter contato no seu ambiente de trabalho. Isso é perda de tempo? Não exatamente pois, como disse, a faculdade visa te dar uma base, aliás, ferramentas mudam muito mais rápido do que os conceitos de TI. E em cima desses conceitos, você pode aprender novas ferramentas.

Os cursos de especialização sempre estão antenados nas atualizações das ferramentas e lançamentos. Então você pode juntar o útil ao agradável 😊

Ok, então para me tornar um bom profissional, eu preciso da graduação?

Não queremos dizer que para ser um bom profissional da área você tenha que ter uma faculdade. Existem vários profissionais muito bons e que não são formados. Você pode ter sucesso na área de TI sem um diploma.

Com um curso de especialização você conseguirá o conhecimento técnico necessário para desempenhar as funções que o mercado pede, porém, várias empresas pedem que o profissional também tenha nível superior. Inclusive, existem projetos no mercado que só podem ser assumidos por equipes compostas por profissionais que tenham nível superior.

Com certeza você já deve ter ouvido alguém falar que somente teve a prática de mercado e que aprendeu mesmo quando começou a trabalhar, e não na faculdade. Mas a faculdade carrega em si toda uma parte acadêmica, onde além de aprender com as aulas, você desenvolverá projetos que unem diversas disciplinas. Também irá desenvolver muitas outras habilidades como trabalho em equipe, a se comunicar melhor, resolver conflitos, lidar com prazos. Ou seja, já é uma prévia que do que você irá enfrentar no mercado de trabalho, e isso somente uma faculdade irá te proporcionar.

Mas o seu estudo no curso superior não precisa se restringir somente à sala de aula. E é aí que entram os cursos de especialização e a importância deles. Se você quer se destacar perante seus colegas de faculdade é preciso ir além. Muitas vezes alguns professores precisam indicar seus alunos para vagas e você estar um passo à frente faz muita diferença. E não só neste cenário de indicação, mas em qualquer outro na disputa por uma vaga. Além disso é muito legal fazer algo extra, você pode estudar algo que não tenha dentro da graduação ou até mesmo algo que você aprende na faculdade, mas quer se aprofundar ainda mais.

Em cursos online você pode estudar quando quiser e ter o seu próprio ritmo de estudos – sem pressão!. Além de poder escolher o que estudar, você poderá ter um conhecimento muito mais aprofundado. Como foi dito no início, a principal vantagem desses cursos é que eles vão mais direto ao ponto e com muita prática, que é o que mais procuramos. Basta escolher sua área de interesse e se especializar nela. Esses cursos geralmente podem até contar como horas extracurriculares na faculdade.

Mas até mesmo em cursos de especialização online você também terá que ter disciplina e muitas vezes precisará de um norte. “Por onde começar?” “O que fazer?” são algumas questões recorrentes, por isso aqui na TreinaWeb temos todo um direcionamento do que estudar de acordo com seus objetivos, além de todo um acompanhamento com nossos instrutores.

Vale ainda ressaltar a importância de se considerar a qualidade de ensino, independente se é uma faculdade ou um curso de especialização – ou os dois.

Formação:
CONHEÇA A FORMAÇÃO

Concluindo

Sabemos que conciliar essas duas atividades (faculdade e cursos de especialização) exigem muita disponibilidade de tempo e dedicação. Mas, o ideal, na verdade, é que o profissional tenha a faculdade e utilize nossos cursos como um complemento, para que assim você saiba melhor o que o mercado de trabalho está usando no momento e o que o mercado espera dos profissionais de TI.

Diferenças entre os cursos superiores na área de TI

A tecnologia está muito presente no nosso dia a dia e não param de aparecer vagas nesse segmento. Por isso, muitos estudantes quando finalizam o ensino médio, escolhem seguir a área de TI.

Ao procurar um curso em uma faculdade, é comum surgirem dúvidas por se depararem com diversos cursos. Entender o propósito do curso antes de ingressar é importante, já que esse é um dos principais motivos para diversos alunos mudarem de curso logo no primeiro ano. O currículo desses cursos tem muitas coisas em comum, mas cada um deles desenvolve aptidões mais específicas para a área de atuação.

Sendo assim, vamos listar aqui os principais cursos de TI, assim você pode entender melhor e ver se prefere os “mão na massa” ou os mais gerenciais.

Ciência da computação

Esse é um curso que atua na análise e desenvolvimento de estruturas e soluções computacionais. Esse profissional se encaixará mais na equipe técnica de uma empresa, podendo projetar, implementar, manter e operar ambientes computacionais, com um sólido embasamento teórico.

Em outras palavras, esse curso tem formação focada principalmente no desenvolvimento de software. O profissional formado em ciência da computação pode atuar em várias empresas do segmento de TI e empresas desenvolvedoras de software.

Sistemas de informação

Este curso atua no desenvolvimento de soluções para os processos de negócios das empresas, automatizando e apoiando as tarefas. Tem a finalidade de planejar e gerenciar a informação e a infraestrutura de TI, além de projetar e implementar sistemas de informação. É um curso que possui muitos tópicos de administração e assuntos relacionados à gestão em TI.

O profissional formado neste curso poderá atuar em diversas empresas do segmento de TI, podendo atuar também como pesquisador e até como consultor.

Formação:
CONHEÇA A FORMAÇÃO

Análise e desenvolvimento de sistemas

Esse é um curso normalmente oferecido na modalidade tecnólogo, voltado a formações mais rápidas (de 2 a 3 anos). O curso visa capacitar o aluno a projetar, documentar, especificar, implementar, testar, implantar e manter softwares.

Além disso, o profissional pode propor melhorias baseadas em TI e aplicar corretamente os recursos computacionais. Pode atuar como analista de sistemas e desenvolvedor de software.

Engenharia da computação

Este curso é mais relacionado com a parte de hardware do que com o software, por isso tem algumas disciplinas relacionadas a matemática, física, eletrônica, mecânica e até mesmo robótica.

É voltado ao projeto, desenvolvimento e implementação de dispositivos e equipamentos. Relacionados à parte de software, também são ensinadas disciplinas relacionadas à área de programação, porém em bagagem menor.

Pode vir a trabalhar em diversos segmentos, como empresas do setor de tecnologia, indústria, a até mesmo na fabricação de sistemas embarcados, automação industrial e robótica.

Gestão da Tecnologia da Informação

Este curso é uma mistura da área de informática com a área de gestão. Neste curso, o profissional irá atuar mais na parte administrativa da TI e das pessoas envolvidas nela. Projeta, implementa e gerencia ambientes informatizados.

Este curso também é normalmente oferecido como um curso tecnológico, podendo ser concluído em até 3 anos. O estudante aprenderá linguagem de programação, desenvolvimento de software e banco de dados. Na área gerencial, estudará administração, contabilidade, negócios, marketing e gestão de pessoas, por exemplo.

Pode vir a atuar como consultor ou em empresas que tem a tecnologia como fator para o seu desenvolvimento.

Tecnologia em Banco de dados

Se na área de TI, a parte que mais te interessa é banco de dados, esse pode ser o melhor curso para você. É um curso que também se encaixa na modalidade tecnólogo e tem o objetivo de capacitar o aluno a projetar, implementar e gerenciar bases de dados, utilizando técnicas e ferramentas de programação, administração e supervisão.

Também é responsável pelos métodos de segurança, integridade de dados e claro, manter sempre o sigilo de informações. Resumindo, esse curso faz o aluno desenvolver aptidões mais específicas para implantação e gerenciamento de bases de dados.

Poderá atuar como consultor, gestor e desenvolvedor de soluções baseadas em sistemas de banco de dados em qualquer empresa.

Formação:
CONHEÇA A FORMAÇÃO

Concluindo

Esses são alguns dos cursos de graduação mais vistos por aí, mas com certeza você já deve ter visto algum com outro nome. Mas é assim mesmo. O importante, como foi falado no começo, é procurar entender bem o que você estudará, olhar a grade do curso e ver as áreas que você poderá atuar. Assim terá menos chances de abandonar um curso que não atendeu suas expectativas.

Até a próxima! =)

Você sabe o que é COBIT?

A utilização de tecnologias se tornaram importantes fatores de gerenciamento na maioria das empresas, tendo como a gestão da informação uma das mais importantes, com o objetivo de garantir que as decisões sejam tomadas de forma correta.

Ter governança de TI é primordial para conseguir bons resultados e mais importante ainda: que eles estejam alinhados aos objetivos da empresa. É aí que entra o COBIT.

O que vem a ser o COBIT?

O COBIT (Control Objectives for Information and related Technology) é um framework focado na governança de TI criado pelo ISACA (Information Systems Audit and Control Association), a fim de estabelecer as melhores práticas alinhadas aos objetivos da empresa. No COBIT, todos os processos e seus resultados são monitorados, a fim de analisá-los para que todas as práticas que não tragam bons resultados para a empresa sejam modificadas e às vezes, até excluídas.

Atualmente o COBIT está na sua quinta versão. Nela, o COBIT se tornou uma família de produtos, contendo publicações referentes a implementação, segurança da informação, riscos, qualidades, dentre outros. Além disso, as informações referentes ao framework estão em uma publicação separada da que contém as informações relativas aos processos.

Este framework é fundamentado em 5 princípios, que são:

Atender as necessidades das partes interessadas:

Toda empresa tem como objetivo obter benefícios por meio da otimização do uso de recursos, criando valor para as partes interessadas.

Cobrir a organização de ponta a ponta:

Isso significa que o COBIT cobre todas as funções e processos controlando as informações da organização e as tecnologias, onde quer que essas informações sejam processadas.

Aplicar um modelo único e integrado:

Esta quinta versão do COBIT integra todos os conhecimentos anteriores, como o COBIT 4.1, Val IT, Risk IT e BMIS. Isso permite que a empresa possa utilizar somente o COBIT 5, como um integrador de frameworks de governança e gestão.

Permitir uma abordagem holística:

Para possibilitar essa abordagem holística, o COBIT 5 define um conjunto contendo 7 habilitadores, sendo: princípios, políticas e frameworks; processos; estruturas organizacionais; cultura, ética e comportamento; informação; serviços, infraestrutura e aplicações; pessoas, habilidades e competências. Esses habilitadores são orientados pelos objetivos da TI, definindo o que os diferentes habilitadores deverão alcançar. Este é um assunto mais extenso ficando para um próximo post.

Distinguir a governança da gestão:

É importante saber a diferença entre governança e gestão. Na governança são discutidos temas relacionados aos planos de alinhamento estratégico, enquanto a gestão é responsabilidade da gerência executiva, consistindo em planejar, executar e monitorar as atividades para atingir os objetivos corporativos.

Quais os benefícios?

A utilização do COBIT independe do tipo de empresa e negócio, podendo ser usada em qualquer uma. O COBIT tem o propósito de te ajudar a direcionar e a priorizar os esforços e recursos da TI para atender corretamente aos requisitos do negócio, visando a diminuição de riscos.

Concluindo

Ainda se tem muito o que falar sobre o COBIT como sua implementação e como ele é realmente na prática. Aqui, falamos brevemente sobre ele para que você possa ter uma introdução ao tema e para que saiba que ele existe.

Essas boas práticas recomendadas pelo COBIT funcionam no mundo todo e ele pode ser considerado um manual com as mais avançadas tecnologias e práticas empresariais, podendo ser usado como referência para gestores, para que assim o comprimento das metas sejam sincronizadas com os objetivos da empresa, possibilitando resultados positivos.

Curso de
CONHEÇA O CURSO

Utilizando o PMBOK para gerenciar projetos de TI

Se todos os nossos projetos terminassem do jeito que nós pensamos lá no começo, tudo seria muito mais fácil. Porém, não é assim que funciona. Sem o planejamento adequado, não conseguimos alcançar o sucesso esperado. Neste artigo, veremos como gerenciar melhor nossos projetos na área de TI com a aplicação do PMI.

Curso de
CONHEÇA O CURSO

O que é um projeto?

Primeiramente, vamos definir o que vem a ser um projeto. Um projeto é um conjunto de atividades que são realizadas em grupo e tem como objetivo final a produção de um produto ou serviço. O Gerenciamento de Projetos vem a ser a aplicação de técnicas e conhecimentos para a execução de projetos, buscando concluí-los de forma eficaz. Neste gerenciamento, os resultados dos projetos devem estar alinhados aos objetivos do negócio.

PMI e PMBOK

Visando estabelecer técnicas para uma melhor gerência de projetos, o Instituto de Gerenciamento de Projetos (Project Management Institute – PMI), elaborou o “Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos”, mais conhecido como Guia PMBOK. Utilizando os padrões mundiais do PMI, você terá grandes chances do seu projeto progredir.

Primeiramente vamos abordar rapidamente os 5 grupos de fases do gerenciamento de projetos:

  • Iniciação

Etapa que define e autoriza o projeto ou uma fase do mesmo.

  • Planejamento

Define as estratégias para alcançar os objetivos e o escopo proposto no projeto.

  • Execução

Fase da integração de pessoas e recursos para realização das atividades do projeto.

  • Monitoramento e Controle

Fase que monitora e controla todos os processos com o objetivo de identificar conflitos com o plano de gerenciamento, para que seja possível tomar decisões antes que algo afete o projeto.

  • Encerramento

Nesta última etapa, é formalizada a aceitação de um produto, serviço ou resultado. Depois, há a condução para a fase final do projeto.

Segundo a última edição do Guia PMBOK, existem dez áreas de conhecimento em gerenciamento de projetos, sendo:

  • Gerenciamento da Integração

É basicamente a integração de todas as demais áreas.

  • Gerenciamento de Escopo

No Gerenciamento de Escopo deve-se colocar todas as atividades que serão realizadas para que seja possível identificar e controlar tanto o escopo quanto as mudanças que possam ocorrer.

  • Gerenciamento de Custos

Nesta área deve-se fazer um planejamento, estimar os custos, definir um orçamento e até mesmo realizar o controle desses custos. Também é importante acompanhar se tudo está ocorrendo conforme o orçamento estabelecido.

  • Gerenciamento de Qualidade

Esta área determina normas ou padrões de qualidade que devem ser seguidos durante o projeto. Para que o mesmo tenha a qualidade esperada, é necessário sempre estar realizando uma auditoria para verificar se o que está sendo entregue está de acordo com os padrões e normas estabelecidas.

  • Gerenciamento das Aquisições

Nesta área deve-se descrever os processos que compram ou adquirem produtos ou serviços. Você deve planejar, realizar, administrar e encerrar as aquisições. Explicando um pouco mais, você deve primeiramente determinar o que adquirir e de quem. Após isso, você irá receber a resposta de vários fornecedores para selecionar o melhor custo/benefício para a empresa. Assim, se dará o gerenciamento dos contratos, pagamentos e as entregas. Não se deve esquecer de formalizar a finalização do contrato.

  • Gerenciamento de Recursos Humanos

Sem pessoas não há projetos. Por isso, é muito importante desenvolver e gerenciar a equipe do projeto. É importante definir uma hierarquia e definir quem é responsável pelo o que no projeto. Também é importante se preocupar com o treinamento da equipe além da sua integração e geração de conhecimento. Estes itens podem determinar como resolver conflitos de equipe antes que eles afetem o projeto.

  • Gerenciamento das Comunicações

A comunicação é uma das causas mais rotineiras para os fracassos em projetos. Isso se deve a altas falhas de comunicação entre as partes envolvidas no projeto. Se um projeto de TI tiver relação com outras áreas, é preciso saber quem são as partes envolvidas no projeto e definir uma forma de comunicação certeira, de preferência de forma presencial. O importante é que todos os envolvidos, direta ou indiretamente, tenham acesso às informações e possam se comunicar de forma clara.

  • Gerenciamento de Risco

O mal gerenciamento de riscos também é uma das causas para que aconteçam fracassos em projetos. Todo projeto está sujeito a riscos, isso é fato! Isso geralmente acontece porque quase sempre irá ocorrer alguma mudança no projeto no meio do caminho. É muito difícil um projeto em que não ocorra alguma mudança. Sendo assim, é necessário estudar os possíveis riscos e planejar estratégias caso eles ocorram. Para se ter um gerenciamento de risco eficaz, deve-se registrar todo e qualquer tipo de risco, podendo estes riscos serem ameaças ou oportunidades para o projeto. Esse gerenciamento deve envolver e comprometer todos que estão ligados ao projeto, a fim de suavizar os riscos, evitando que se tornem problemas.

  • Gerenciamento de Tempo

Após definir as atividades que serão executadas, elas devem ir para um cronograma para a definição do tempo necessário para concluir essas atividades, além da estipulação de datas. É sempre importante verificar se o andamento do trabalho está de acordo com o cronograma.

  • Gerenciamento das Partes Interessadas

Essa foi a última inclusão da área do conhecimento no Guia PMBOK, a fim de incentivar um melhor envolvimento em relação as partes interessadas. Nesta área deve-se identificar as partes interessadas, planejá-las, gerenciá-las e controlá-las.

Além de utilizar essas bases de conhecimento, uma metodologia que pode auxiliar o desenvolvimento do projeto na área de TI é a utilização do Scrum. Este é um método bastante conhecido por prever entregas rápidas. A junção das técnicas de conhecimento do PMBOK com o Scrum pode diminuir muito as chances de você ter um projeto fracassado.

Já fez uso ou já participou de algum projeto que utilize as áreas de conhecimento do PMBOK? Conta pra gente nos comentários. =)

No próximo artigo vamos abordar o Scrum e como você pode utilizá-lo em seus projetos.

Curso de
CONHEÇA O CURSO