TW Entrevista 04: Caio Ribeiro

Olá, Web Developers!

Hoje trazemos para vocês uma entrevista com o Caio Ribeiro, empreendedor e autor de livros de Node.js e MongoDB.

Se você ainda não viu, o entrevistado da semana passada foi o João Batista Neto.

Fale um pouco sobre você (de onde é, onde mora, o que faz, onde trabalha atualmente, etc);

Moro em São Vicente, SP. Atualmente sou Founder e CEO da startup WatchCoins, que é basicamente uma plataforma analítica voltada para acompanhar cotações do mercado de criptomoedas (bitcoin e altcoins em geral).

Formação:
CONHEÇA A FORMAÇÃO

Quando e como você começou a se interessar pela área?

Desde criança sempre tive um contato muito forte com games e computador. Com 15 anos de idade meu primeiro computador queimou sem explicação nenhuma.

Isso me motivou a estudar muito sobre manutenção de hardware, tanto é que foi meu primeiro trabalho como autônomo, e com passar do tempo migrei de hardware para fuçador de blog, pelo qual tive meu primeiro contato com HTML, CSS e JS, e ao completar 18 anos não tive dúvidas em cursar na área de TI, tanto é que me formei em bacharel de Sistema de Informação, e desde então tive muito amor por essa área, tanto é que já estou quase 10 anos trabalhando muito como desenvolvedor e atualmente como empreendedor.

Como foi seu primeiro trabalho na área?

Estágio de suporte técnico, pelo qual tive pouco contato com programação. Aí em pouco tempo surgiu uma vaga de estágio em programação Java, pelo qual expandiu muito meu conhecimento e desde então só trabalhei nessa área, em diversos projetos e sempre adotando uma postura de ser o pai do projeto, em que a gente acaba aprendendo e trabalhando em todas as áreas que envolve um projeto, tanto é que atualmente meu perfil é mais pra full-stack do que apenas backend.

Para as pessoas que querem ser Full-Stack, que dicas você dá? Para um iniciante é melhor evitar ser full-stack e se especializar em uma tecnologia primeiro?

Fullstack é uma tendência cada vez mais crescente, basicamente tenha gosto em aprender todas as camadas de uma aplicação, mesmo que você não goste ou não seja 100% bom em todas.

Basta ter vontade e curiosidade em saber como uma aplicação funciona por inteira e não apenas parte da aplicação.

Seja iniciante ou não, existem dois tipos de profissionais em nossa área: o especialista em alguma tecnologia e o generalista.

O especialista saberá muito bem resolver apenas problemas daquilo que ele se especializou, já o generalista vai saber por alto, ou pelo menos conceitualmente, como lidar com diversos tipos de problemas e só vai se especializar em uma determinada solução de problema somente se surgir a necessidade disso.

Eu sempre tive a curiosidade em aprender conceitos e isso acabou me tornando um generalista que sabe um pouco de tudo, e isso é bom, pois trabalhamos numa área que ocorrem mudanças com grande frequência e isso requer ser mais flexível a isso.

Você também possui livros publicados sobre assuntos como Node.js e Meteor, inclusive em inglês. Conte-nos um pouco sobre a experiência de ser autor, as dificuldades, como organizar o tempo para escrever, etc.

Foi uma experiência incrível, pois o livro não só abriu novas oportunidades como também me fez amadurecer muito sobre estudos, sobre aprender a aprender, assim como também aprender a ensinar.

Lembro na época que eu trabalhava e quase não tinha tempo de escrever, mas segui a dica de focar apenas 30 minutos por dia no livro e isso ajudou muito.

Outra dica que me ajudou muito foi usar tempo ocioso de ônibus para escrever o livro usando celular. É incrível como esse tempo ocioso foi muito bem produtivo.

Formação:
CONHEÇA A FORMAÇÃO

Para quem quer escrever, por onde começar e como apresentar sua proposta para uma editora? É preciso saber escrever bem e de forma correta ou a editora possui pessoas para dar suporte ao autor?

Uma boa estratégia é começar a escrever um blog com pelo menos 50% do conteúdo público para ir coletando feedback dos leitores e, com isso, ficará mais fácil escrever os demais 50% num livro.

Hoje é possível publicar seu próprio livro em plataformas como a Leanpub, e caso seu livro seja bem visto, com certeza as editoras vão aparecer com propostas boas para te ajudar a publicar um livro impreso.

Muitos iniciantes na nossa área começam a estudar já pensando que ao fim da faculdade vão abrir uma empresa e ganhar muito dinheiro em pouco tempo.

Quais os cuidados que devemos tomar? Quando você viu que estava pronto para empreender? Qual a hora de largar o emprego para se dedicar a um projeto próprio?

Na verdade acredito que são poucas pessoas que saem da faculdade e começam a empreender, pois a maioria já recebe muito incentivo das faculdades em procurar um emprego com bom salário.

Infelizmente poucas pessoas se aventuram em empreender. Empreender não é algo fácil, criar uma startup é 10x mais díficil ainda, pois você estará construindo um modelo de negócio pelo qual não sabe se vai dar certo.

Minha sugestão é: faça networking com empreendedores, estude livros sobre startup, aprenda mais e constantemente sobre diversas áreas: contabilidade, direito, administração, liderança, gestão de equipe, gestão de projetos, pois empreender requer disciplina para estar sempre aprender e botar em prática tudo isso, em prol da execução da sua ideia.

Eu já fali 3x e estou pela quarta vez empreendendo. Até agora a startup WatchCoins está indo bem. Não há uma hora certa para largar tudo e empreender. Isso vai muito do auto-conhecimento da pessoa em se planejar financeira e psicologicamente para analisar se está disposto a arriscar largar emprego para construir sua própria empresa.

Quais as partes que você mais e menos gosta como desenvolvedor e empreendedor?

Como desenvolvedor eu gosto de um pouco de tudo: Infra, Devops, Backend, Frontend, porém Design nunca foi meu forte.

Como empreendedor, também gosto de um pouco de tudo, exceto a burocracia e altos impostos que temos em nosso país que em muitas vezes desencorajam empreender.

Fique Ligado!

Para seguir o Caio Ribeiro:

Deixe seu comentário

Graduado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Pós-graduado em Projetos e Desenvolvimento de Aplicações Web. Especializado em Front End e curte desenvolvimento de jogos. Estudante de Machine Learning.