Android

Android Things e a Internet das Coisas

O Android é conhecido por dominar o mercado de smartphones e tablets, sendo o sistema operacional para mobile mais utilizado nos últimos anos. E não parou por aí, o robozinho verde está ampliando e quer estar presente em todos os dispositivos possíveis! Depois do Android Auto (para carros) e o Android Wear (para dispositivos vestíveis como os relógios) o Google lançou o Android Things, uma versão do sistema operacional para a Internet das Coisas, também conhecida como IoT (Internet of Things).

Android - Básico
Curso de Android - Básico
CONHEÇA O CURSO

A Internet das Coisas

Essa tecnologia está surgindo para revolucionar o nosso dia a dia. Tem como objetivo conectar todos, sim, você leu certo, todos os dispositivos que utilizamos à rede mundial de computadores. Geladeiras, televisão, micro-ondas, relógios, alarmes, ar-condicionado, termostatos, máquinas de lavar, carros, máquinas industriais, enfim, TUDO! A ideia vai além de simplesmente conectar todos os dispositivos a internet, mas sim, torná-los mais eficientes e fazer com que comuniquem entre si.

Imagine sair de casa e, quando estiver voltando, acionar pelo celular o ar-condicionado que consultará o termostato para identificar a temperatura ideal para o ambiente. Ou então, toda a rede elétrica da sua casa ser cortada automaticamente em caso de vazamento de gás e você ser notificado pelo celular. São inúmeras as aplicações que podem surgir a partir de todos os equipamentos conectados. Esta revolução tecnológica vai além de residências, também pode atuar em lojas, indústrias, hospitais, transporte público, fazendas, plantações, etc.

Mas, é claro, não será tão simples assim, se tudo está conectado e dependente da rede, existem riscos caso algum equipamento falhe, seja um erro de software ou até mesmo uma invasão hackers. Por isso, há muito o que discutir sobre o assunto, afinal, não queremos ser vítimas da nossa própria tecnologia.

Android Things

Como todas as coisas conectadas à internet precisarão de um sistema operacional, a gigante da tecnologia não demorou e lançou o Android Things. Este SO é dedicado exclusivamente para a IoT.

A ideia do Google é de que qualquer desenvolvedor Android possa desenvolver um dispositivo inteligente utilizando as APIs disponibilizadas, além de tornar a integração com os outros dispositivos, que já utilizam outras versões do sistema, de forma simples e fácil. Por isso, o Google já disponibiliza tudo o que você precisa para começar a desenvolver com o Android Things através do site para desenvolvedores.

Até o momento, existem quatro plataformas de hardware disponíveis para o Android Things:

  • Intel® Edison: Possui um processador Intel® Atom™ de 500MHz dual-core x86 e 1 GB de RAM;
  • Intel® Joule: Possui um processador Intel® Atom™ de 1.5GHz/1.7GHz quad-core x86 e 3GB/4GB de RAM;
  • NXP Pico i.MX6UL: Processador NXP i.MX6Ultralite de 500MHz ARM Cortex A7 e 512MB de RAM;
  • Raspiberry Pi 3: Com um processador Broadcom BCM2837 de 1.2GHz quad-core Cortex A53 e 1GB de RAM.

Para cada um destes hardwares existe uma imagem do sistema operacional para download.

A arquitetura do Android Things não é muito diferente do convencional. Ele estende o core do framework do Android com um adicional das APIs fornecidas pela Things Support Library. Essas APIs permitem que haja integração dos aplicativos com novos tipos de hardware que não são encontrados em dispositivos móveis.

Além disso, esta plataforma é simplificada e trabalha com single application. Não possui aplicativos de sistema e o seu app é iniciado automaticamente na inicialização do SO. Possui suporte para alguns serviços do google como as APIs de Localização, Mobile Vision, Firebase Storage, FCM, Firebase Realtime Database, entre outras. As APIs que requerem autenticação não estão disponíveis como AdMob, Firebase Authentication, Maps, etc.

Enfim, o Android Things está vindo com tudo para impulsionar a IoT e mostrar para o que veio. Então é bom ficar atento às novidades que, com certeza, não pararão de surgir.

Um abraço, e até a próxima!

React Native - Acesso às APIs de Hardware
Curso de React Native - Acesso às APIs de Hardware
CONHEÇA O CURSO

Como ativar a depuração USB no Android

Hoje uma dica rápida. A depuração USB é bastante conhecida pelos desenvolvedores por auxiliar no desenvolvimento de aplicativos. Através dela é possível testar as aplicações em um dispositivo real durante o desenvolvimento e assim dispensar o uso de emuladores.

Além disso, esse modo é utilizado para fazer root no aparelho, instalar uma nova ROM, etc.

Android - Básico
Curso de Android - Básico
CONHEÇA O CURSO

Para ativar a depuração USB no Android é necessário ativar o modo desenvolvedor. Para ativá-lo, siga os seguintes passos:

  • Acessar o menu configurações e depois a opção Sobre o telefone (ou Sobre o dispositivo)

  • Na próxima tela, clique 7 vezes seguidas na opção Número da versão (ou Número de compilação) até que apareça a mensagem Você agora é um desenvolvedor.

  • Volte para a tela anterior e verá que o modo desenvolvedor estará ativo.

Agora que o modo desenvolvedor encontra-se ativo, é hora de habilitar a depuração USB. Para isso, acesse a opção Opções do desenvolvedor e ative a Depuração USB.

Até a próxima!

PhoneGap - Apache Cordova Mobile Framework
Curso de PhoneGap - Apache Cordova Mobile Framework
CONHEÇA O CURSO

Aprenda a instalar o Cordova com Android no macOS

Configurar o Apache Cordova, também conhecido como PhoneGap, é um processo um tanto quanto trabalhoso e pode se tornar um problema para quem quer testar essa tecnologia. Veremos aqui como configurar o Cordova para compilar no emulador ou direto no dispositivo Android usando MAC OS X ou macOS (mudança de nome introduzida na décima terceira versão do SO, intitulada de macOS v10.12 “Sierra”)

Nesse processo de configuração vamos instalar as seguintes ferramentas:

  • Java JDK
  • Android SDK
  • Apache Ant
  • NodeJs
  • Cordova
PhoneGap - Apache Cordova Mobile Framework
Curso de PhoneGap - Apache Cordova Mobile Framework
CONHEÇA O CURSO

Instalação Java JDK

Para fazer o download do Java JDK acesse a página http://www.oracle.com/technetwork/pt/java/javase/downloads e clique na imagem abaixo:

Faça o download da última versão do JDK na linha Mac OS X. Após o Download abra o arquivo .dmg e clique duas vezes no ícone da Caixa para realizar a instalação:

Realize a instalação com todas as opções padrões. Ao final acesse o terminal e digite java -version deve ser apresentada a seguinte mensagem:

Java Básico
Curso de Java Básico
CONHEÇA O CURSO

Instalando o Android SDK

Acesse a página do SDK Android em https://developer.android.com/studio desça até a opção de baixar somente o SDK:

Na linha do Mac OS X faça o download do arquivo .zip.

Ao término do download, extraia os arquivos na pasta phonegap dentro da home do usuário, para acessar a pasta home basta usar o atalho Command + Shift + H no Finder. Deve ficar conforme abaixo:

React Native - Fundamentos
Curso de React Native - Fundamentos
CONHEÇA O CURSO

Configurando as variáveis de ambiente

No terminal digite o comando nano ~/.bash_profile e insira no final do arquivo as seguintes linhas:

export ANDROID_HOME=~/phonegap/android-sdk-macosx
export ANT_HOME=~/phonegap/apache-ant

Salve o arquivo com o atalho Crtl + O e saia com Crtl + X

Agora execute o comando sudo nano /etc/paths e insira no final do arquivo o seguinte conteúdo:

~/phonegap/android-sdk-macosx/platform-tools
~/phonegap/android-sdk-macosx/tools
~/phonegap/apache-ant/bin

Salve o arquivo e saia (Crtl + O e Crtl + X).

Instalando Apache Ant

Acesse a página de download do Apache Ant (http://ant.apache.org/bindownload.cgi) e baixe a última versão no formato .zip.

Após o download, extraia a pasta do Apache Ant dentro da pasta phonegap que criamos dentro do diretório home e renomeie-a para apache-ant conforme indicamos nas variáveis:

Agora, no terminal, ao executar ant -v deve ser exibida a versão instalada:

Instalação dos pacotes no Android SDK

Abra o terminal e digite o comando android para acessar o gerenciador do SDK. No gerenciador marque as seguintes ferramentas:

Vamos instalar a imagem do Android 5.1.1:

Selecione em extras o pacote Intel x86 Emulator Accelerator (HAXM Installer).

Clique no botão Install Packages, aceite os termos da licença e aguarde ele instalar todos os pacotes.

Por fim, acesse a pasta home/phonegap/android-sdk-macosx/extras/intel/Hardware_Accelerated_Execution_Manager/ e instale o arquivo IntelHAXM_X.X.X.dmg

Criando Android Virtual Device (AVD)

Com o gerenciador do SKD aberto vá no menu Tools > Manage AVDs

Clique no botão create e preencha os dados da nova tela conforme abaixo:

Essas características que definirão como o emulador Android funcionará.

Instalando o NodeJs

Acesse a página do NodeJS https://nodejs.org/ e clique na versão recomendada (botão verde da esquerda). Após o download abra o arquivo .pkg e faça a instalação de modo padrão.

Acesse o terminal e teste se o Node foi instalado corretamente executando os comandos:

node -v 
npm -v

Para cada comando acima ele deve retornar a versão. Se retornar erro de comando desconhecido o Node não foi instalado corretamente.

Node.js Completo
Curso de Node.js Completo
CONHEÇA O CURSO

Instalando pacote Cordova

Para realizar a instalação da última versão do Apache Cordova execute o seguinte comando no terminal:

sudo npm install -g cordova

Após a instalação o terminal será liberado novamente, então execute o comando cordova -v para verificar se ele foi instalado corretamente.

Criando o projeto

O processo para criar e compilar o projeto consiste em 3 passos básicos:

  • Primeiro a criação do Projeto
  • Depois a adição das plataformas usadas (Android, IOS, WP e etc)
  • Por último, a compilação e execução do projeto.

Criação do projeto

Para criar o projeto usamos o seguinte comando:

cordova create NOME_PROJETO

Vamos criar o projeto olaMundo:

cordova create olaMundo

Será gerada uma pasta no local onde o comando foi executado, ela terá o nome do projeto.

Adição da Plataforma

Agora precisamos adicionar a plataforma. A sintaxe do comando de adição é:

cordova platform add NOME_PLATAFORMA

Acesse a pasta do projeto e adicione a plataforma Android:

cd olaMundo
cordova platform add android

A primeira vez que esse comando é executado ele baixa o projeto de exemplo e copia para a pasta plataforms do projeto, por isso pode ser um pouco demorado.

Compilando e executando

Agora basta mandar o Cordova rodar que ele fez todo o processo:

cordova run android

Ele compilará o projeto, iniciará o Emulador e por fim instalará o aplicativo:

Compilar no dispositivo Android

Para compilar no dispositivo Android o comando é o mesmo mostrado acima – cordova run android – o único requisito é que o dispositivo esteja ligado no USB em modo Depuração USB. Caso não saiba como colocar o Android nesse modo, basta acessar o artigo Como ativar a depuração USB no Android.

Até a próxima!