Derivado do JavaScript e especificado no ano 2000, JSON é um acrônimo de “Javascript Object Notation” ou simplesmente “Notação de objeto JavaScript”. É um modelo para a transmissão de informações no formato de texto entre diferentes linguagens. Em palavras mais simples, é um formato de serialização de dados muito utilizado em web services.

Possui como uma das principais características a sua legibilidade, podendo facilmente ser lido por humanos, sem a necessidade de uma aplicação auxiliar. Podemos listar também como vantagens do JSON:

  • Arquivo com tamanho reduzido;
  • Suporta objetos;
  • Maior velocidade no transporte e execução de dados;
  • É utilizado por grandes empresas como Google, Facebook, Twitter, entre outras;

Porque o JSON é importante?

Com o passar do tempo, o modo com que os sistemas são desenvolvidos mudou. Atualmente, é bem comum que determinados dados sejam compartilhados por diversas aplicações. Para este propósito, o uso de web services tem se tornado cada dia mais relevante, pois são com eles que conseguimos criar um serviço para que diversas aplicações clientes consumam o mesmo banco de dados.

Npm - Gerenciador de pacotes para JavaScript
Curso de Npm - Gerenciador de pacotes para JavaScript
CONHEÇA O CURSO

Porém, como garantir que uma aplicação cliente, escrita em JavaScript ou PHP conseguirá trocar informação com uma aplicação escrita em Python ou C#?

É neste ponto que o uso de JSON é essencial, pois utilizando este formato “universal” garantimos que qualquer aplicação cliente que saiba consumir dados em JSON se comuniquem com o web service.

Sendo assim, basicamente, o JSON é uma espécie de linguagem universal que é utilizada para a comunicação entre aplicações, independente de sua linguagem de desenvolvimento.

Sintaxe do JSON

Como já citado anteriormente, a sintaxe do JSON é extremamente simples, já que uma das suas principais características é a sua legibilidade.

Basicamente, um JSON representa um objeto que possui seus atributos, cada atributo possui um determinado valor.

Possui como elementos básicos:

{ } (chaves) para delimitar um objeto;
[ ] (colchetes) para delimitar um array;
: (dois pontos) para separar os atributos de valores;
, (vírgula) para separar os atributos chave/valor.

Vejamos o exemplo a seguir de uma exemplificação de um objeto (entre chaves { }):

{
“titulo”: “O que é JSON”,
“ano”: 2019,
“autor”: “Ana Paula de Andrade”,
“postado”: true,
“site”: “www.treinaweb.com.br/blog/”,
“categoria”: [“tecnologia”, “desenvolvimento back-end”, “desenvolvimento front-end”],
“resumo”: null
}

Tipos de dados do JSON

O JSON possui apenas quatro tipos básicos: string, booleano, nulo ou numérico (podendo ser inteiro ou real) e foi justamente o que representamos em título, ano, autor, postado (que é o status do artigo) e endereço do nosso site/blog.

Nota-se que para representar valores do tipo “strings” os mesmos devem ser inseridos entre aspas (duplas ou simples) o que não é necessário para os demais tipos.

Já em categoria, inserimos um array de strings utilizando colchetes [ ], como citamos acima.

E, por fim, o valor nulo inserido em “resumo”, representando que o mesmo não contém dado algum a ser exibido.

Ou seja, para simplificar, podemos concluir que seus tipos básicos de dados são eles:

  • string: Separados por aspas duplas ou simples. Ex: “TreinaWeb” ou ‘TreinaWeb’;
  • numérico: Sem o uso das aspas, podendo ser inteiro ou real. Ex: inteiro (2019) ou real (2.009);
  • booleano: tipo lógico normal, podendo ser true ou false;
  • nulo: valor nulo. Ex: “resumo”: null.

Podemos concluir que…

Como dito anteriormente, com o grande uso dos web services e as diferentes linguagens de programação existentes, a criação de uma língua universal para a troca de informações entre aplicações tornou-se essencial. Com o JSON essa comunicação se torna mais facilitada e “de quebra” independente de linguagem de desenvolvimento.

Deixe seu comentário
Share

Graduanda em Sistemas de Informação pelo Instituto Federal da Bahia. É responsável pelo atendimento ao cliente, gerenciamento de redes sociais e revisão de cursos, além da redação de artigos para o blog da TreinaWeb.